18/01/19

14/01/19

A Igreja Católica portuguesa deveria denunciar publicamente o burro mentiroso Anselmo Borges

 

O silêncio da Conferência Episcopal Portuguesa em relação às opiniões de Anselmo Borges publicadas nos me®dia, revelam cumplicidade : a Igreja Católica portuguesa está minada por dentro.

Os fiéis católicos têm todo o direito de expulsar um Bispo de uma igreja, se as opiniões dele forem contra o estipulado pelo Direito Canónico ou contra o catecismo da Igreja Católica. Os bispos e padres não são deuses; se as suas opiniões forem contra o estipulado pela tradição e pela doutrina da Igreja Católica, temos (nós, os católicos) todo o direito de os expulsar de uma igreja no decorrer de uma missa.

A recente polémica com o Bispo Lindinho do Porto revela, de facto, que a Igreja Católica portuguesa está muito doente. Cabe ao povo católico limpar a Igreja e extirpar o veneno destilado por um clero decadente às ordens de um papa anticristo.


O Anselmo Borges escreveu:

“Na sua obsessão pelo sexo, a Igreja não pode reclamar-se de Jesus. De facto, segundo os Evangelhos, Jesus raramente falou de sexo e, quando o fez, foi provocado por perguntas que lhe fizeram. E, aí, apelou para o amor, a fidelidade no casal e a igualdade do homem e da mulher. Apaixonado pela felicidade das pessoas, participou em festas de casamento e até fez com que aparecesse o vinho que faltava: 600 litros! Ele próprio celibatário, não impôs o celibato: São Pedro, por exemplo, era casado, e o celibato obrigatório para os padres na Igreja do Ocidente só começou a impor-se no século XI, com o Papa Gregório VII.”

Os Evangelhos do Anselmo Borges não são os mesmos que os católicos comuns lêem. O Anselmo Borges tem um evangelho especial, só para ele.


Não há nada nos Evangelhos canónicos que afirme a igualdade de condições (ou igualdade social) entre a mulher e o homem.

A ideia da igualdade de condições (igualdade social) é um conceito marxista que o peçonhento Anselmo Borges atribui a Jesus Cristo.

A ideia de igualdade de condições (igualdade social) entre o homem e a mulher era totalmente estranha à Cultura antes de Engels e Karl Marx.

O que Jesus Cristo defendeu foi a igualdade ontológica (dignidade igual) de homens e/ou mulheres — o que não significa que homens e mulheres tenham todos o mesmo Poder ou as mesmas características, mas que têm uma dignidade igual.


Sobre o casamento e o celibato, aconselho ao Anselmo Borges a leitura de Mateus 19, 10 – 12 (veja se aprende, Ó Grande Burro!): “Há eunucos que se fizeram a si mesmos”.

É absolutamente falso que o celibato não era praticado e aconselhado pelos primeiros padres da Igreja primordial. O Anselmo Borges mente desavergonhadamente. Mentiroso compulsivo.

Houve mesmo casos extremos: por exemplo, Orígenes, um Padre da Igreja primordial, chegou mesmo a (auto) castrar-se para poder endoutrinar (conviver com) as mulheres pagãs da sua comunidade.

Nos Evangelhos canónicos, as condições para seguir Jesus Cristo (condições para ser discípulo, em primeiro lugar, e apóstolo, em segundo lugar) são claras: por exemplo, em Marcos 34, ou em Mateus 19, 16-23 (Aprende!, ó burro! Volta para o seminário!).

29/12/18

O CDS da Assunção Cristas e os direitos de braguilha

 

adolfo-mesquita-nunes-lgbt-bloco-de-esquerda-web


“Se o reaccionário não se desperta dentro do conservador, trata-se então apenas de um progressista paralisado

~ (Nicolás Gómez Dávila)


O CDS da Assunção Cristas e do Adolfo Mesquita Nunes (e do João Távora) é o CDS dos “progressistas paralisados” — dos progressistas “direitinhos” campeões dos direitos de braguilha e do politicamente correcto → pois eu prefiro uma bala marxista a uma palmadinha nas costas de um “direitinha” desses (do CDS da Assunção Cristas e do Adolfo Mesquita Nunes).

A actual situação política em Portugal induz-me ao voto no PNR (Partido Nacional Renovador) — não porque eu o queira expressamente (o PNR é um partido estatista), mas porque não tenho outra hipótese credível.

O espaço político reduziu-se (encolheu) de tal forma que todos os partidos políticos representados no paralamento são de Esquerda — o CDS de Assunção Cristas e do Adolfo Mesquita Nunes fecha a Esquerda à direita.

02/12/18

Bloqueado e censurado pelo FaceBook (outra vez)

 

Desta vez, o FaceBook foi buscar publicações minhas de há dois e três anos para justificar o bloqueio e a censura.

facebook-censorship-protecting-you-from-reality-webpng

A censura e bloqueio do FaceBook actuais a muitas contas na Europa têm a ver com a campanha política contra o Pacto de Imigração da ONU que se assina em Marraquexe em Dezembro (daí a censura por 30 dias).

Provavelmente, logo que tenha acesso a fotografias e imagens que tenho na minha conta do FaceBook, irei fechá-la.

Lembrem-se de que é o FaceBook e o Zuckerberg que precisa de nós: nós não precisamos do Zuckerberg.

Entretanto, vou estar mais activo no

(principalmente nestes dois),

17/07/18

João Semedo não faz falta ao país

 

Poderá fazer falta aos amigos dele; mas não faz falta nem à política nem ao país.

Um indivíduo que, na política, defendeu a legalização e liberalização do aborto, e a legalização da eutanásia, não faz cá falta nenhuma.

Foi-se em boa hora, embora pudesse ter ido mais cedo; e mais: para quem defendeu o aborto, talvez tivesse sido bom para toda a sociedade que a mãe dele o tivesse abortado.

Que a terra lhe pese como chumbo!